Buscar
  • edemirammoulin

Passarinho que anda com morcego, acorda de cabeça para baixo.


Já aconteceu comigo, contigo e com todo mundo. Você começa a estudar, a se interessar por novos assuntos, a sua mente é invadida por novas ideias e novas formas de ver o mundo. Consequentemente você muda seu comportamento e de repente você se vê cercado por pessoas novas e aquelas velhas amizades já não fazem mais sentido em sua vida.

O contrário também é verdadeiro, você age de certa maneira e tem certas opiniões, mas por algum motivo – mudança, escola, trabalho – se vê cercado por pessoas que normalmente não te atrairiam ou até te causam certo desconforto, porém o tempo passa e em breve você começa a achar que aquelas pessoas não são tão ruins assim, que suas ideias e comportamentos fazem sentido e de repente se vê impelido a agir e pensar daquela maneira, seja para o bem ou para o mal.

Quando eu era criança, fui criado no norte de minas e como neto e filho de fazendeiros, fazia parte da cultura local brincar no mato, pescar e caçar. Tenho foto empunhando espingarda maior que eu, costumava sair pela manhã e retornava a tarde com diversos animais abatidos. Ato que era celebrado pela família como um grande feito e coroado com uma farofa de animais silvestres. Apenas anos depois, quando já na faculdade de Psicologia em São Paulo e influenciado pela nova cultura de proteção do ser vivo e preservação ambiental, percebi a inadequação de tal comportamento. Claro que nesse interim o mundo mudou e consequentemente a cultura e comportamento, contudo tudo isso foi acelerado para mim devido a mudança do ambiente.

Além da óbvia afirmação que somos influenciados pelos outros - como vovó já dizia: "Passarinho que anda com morcego, acorda de cabeça para baixo." - , existe o conceito do Contagio Social que é um fator importante para determinar nossas ações e resultados. Muito me agrada a definição GIGO (Garbage in, garbage out) utilizado pela informática. Significa lixo entra, lixo saí, e é utilizada principalmente na área de tecnologia da informação para explicar o funcionamento dos computadores que são capazes de processar logicamente qualquer tipo de dado, desta forma, se as informações imputadas são ruins, o resultado será ruim.

A associação aqui é muito clara, nosso cérebro também pode ser entendido como um computador que processa informações baseado no que colocamos para dentro, e nossas relações são uma base importante de validação destas informações, daí as ideias filosóficas e políticas que nos separam e nos unem.

Pessoas com mesmo padrão de comportamento, pensamento e filosofia, tendem a se unirem e os indivíduos deste grupo tendem a replicarem esse padrão, até que um novo paradigma se descortine para um deles. Lembrem-se que somos seres biopsicossocial.

A questão importante aqui é:

As pessoas que você mais convive, possuem o sucesso que você deseja?

Caso a resposta seja negativa, é bem provável que estas mesmas pessoas estejam – com sua anuência - inundando seu cérebro com informações que apenas reforçam suas crenças e não te deixam atingir seus objetivos.

Imaginemos a seguinte cena: Um grupo de amigos que estão desempregados e vivem falando da crise e como as coisas estão difíceis, eles comentam sobre a recente reportagem com os números do desemprego, sobre como a criminalidade está aumentando e como o governo deveria tomar alguma ação para ajudar o cidadão de bem a se reestruturar.

O que estas pessoas estão dizendo é que o mundo é ruim, vencer é difícil e a responsabilidade pela mudança não está em suas mãos. Desta forma, seu cérebro vai focar em procurar fatos e dados para justificar essa teoria, provavelmente sua postura será de derrota, sua energia vai cair, e aquele entusiasmo que poderia ser utilizado para se preparar para um futuro melhor, será substituído pela certeza de que não adianta se preparar, uma vez que nada vai mudar.

Desta forma, você passa a "vibrar" dessa maneira e passa a se associar com pessoas que também "vibram" assim, caso participe de alguma entrevista de emprego ou tenha uma oportunidade de negócios, o entrevistador ou futuro sócio sentirá sua "energia/vibração" e provavelmente não se associará contigo. Reforçando mais uma vez sua crença que será compartilhada com seu grupo e reforçará a crença do grupo e assim sucessivamente.

Não é difícil de imaginar que este grupo de pessoas, não obtenham sucesso na vida e nos negócios.

Agora imaginemos que em um dado momento, você começa a se envolver com outras pessoas, e elas te trazem informações diferentes, essas pessoas são mais felizes e estão mais confiantes, sabem que existem desafios, mas entendem que são capazes de supera-los com trabalho e determinação. Elas dizem que apesar da taxa de desemprego, existem pessoas que estão tendo sucesso com novas e criativas ideias, elas observam que apesar do aumento na criminalidade existem áreas onde os projetos sociais fazem efeito e a longo prazo isso deve se estender ao todo.

Você começa a rever alguns conceitos anteriores e se sente mais motivado, essa motivação te leva a estudar mais, ler um livro, comer melhor e até fazer mais exercícios físicos, naturalmente sua aparência muda e você começa a "vibrar" com outra "energia". É natural que em breve você esteja num trabalho novo ou com um novo empreendimento.

Se a lógica até aqui não o convenceu vamos a alguns fatos: O médico e sociólogo Nicholas A. Christakis realizou um estudo com mais de 5 mil americanos, e identificou que a variação de peso de um individuo estava intimamente ligada a variação de peso dos 3 amigos mais próximos. Esta mesma relação obtida na obesidade pode ser observada em relação aos sentimentos. Isto é, se um amigo se sente triste, o individuo tende a demonstrar mais sinais de tristeza. A boa noticia é que a felicidade também é contagiosa, a felicidade de quem estava em contato direto com uma pessoa feliz aumen­tava, em média, 15%! Quem conhecia apenas o amigo de uma pessoa feliz tinha um proveito de cerca de 10%.

Portanto meu caro colega, analise com carinho o tipo de pessoas que você mais convive, seus hábitos, assuntos, ideais, crenças, comportamentos, pensamentos e resultados. Se chegar a conclusão de que você não esta sendo influenciado por um grupo positivo, basta tomar as decisões necessárias.

Existem técnicas especificas na ciência comportamental para administrar esse contágio social e tirar proveito das qualidades dos indivíduos, sem que aja grandes rupturas, uma vez que o contagio negativo pode ocorrer dentro da sua própria família.

Uma boa maneira de começar a traçar um plano de mudança e se questionar como a pessoa que tem o que você quer ter agiria? O que ela pensaria? Estudaria? Comeria? Diria? Assim, você terá uma boa base para começar a construir seu novo eu. Mas isso se chama "Modelagem" e é assunto para um outro post.

13 visualizações
  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Caso ainda tenha dúvidas,

entre contato com a nossa equipe.

CONTATO@SUCESSA.COM
(48) 99142-0806

FALE CONOSCO